Ir para o conteúdo
RECEBA DICAS DE SAÚDE E ALIMENTAÇÃO NO SEU E-MAIL!

Cogumelos: quais os tipos e como consumir?

Cogumelos: quais os tipos e como consumir?

Os cogumelos são considerados superalimentos, grupo de alimentos que ajuda a complementar a dieta e beneficia a saúde com suas propriedades e nutrientes. Além de favorecerem a nutrição básica, cogumelos podem agir prevenindo determinados tipos de doenças, favorecendo a saúde em geral – se consumidos com frequência e em conjunto com uma alimentação equilibrada, é claro.

Benefícios para a saúde

As propriedades dos cogumelos são conhecidas há milhares de anos – os egípcios, por exemplo, os chamavam de “planta da imortalidade”. O valor nutricional dos cogumelos merece destaque, pois possuem nutrientes importantes para o bom funcionamento do organismo, como as vitaminas do complexo B, vitamina C, que reduz a inflamação e aumenta a imunidade, vitamina A, potássio, importante na função renal, controle da frequência cardíaca e a pressão arterial, além de ferro, selênio e cobre.

Os cogumelos são excelentes opções para incluir diariamente na alimentação, pois são considerados probióticos e podem ser fortes aliados no fortalecimento do sistema imunológico, ao prevenir resfriados e infecções respiratórias. Além disso, eles contribuem nutrindo as bactérias da nossa flora intestinal, combatem os radicais livres que prejudicam as células saudáveis, podem ajudar no emagrecimento por possuir baixas calorias e ser ricos em fibras alimentares, que dão mais saciedade.

Uma espécie que é alvo constante de pesquisas é o Agaricus blazei, ou Agaricus brasiliensis, que age no organismo de forma complementar por possuir substâncias antitumorais, com capacidade de ligação com células anormais e cancerosas, reduzindo os riscos de desenvolvimento de determinados tipos de câncer, como o de mama, de colo do útero e pâncreas.

Este tipo de cogumelo, se consumido com frequência, pode também agir beneficamente no aparelho digestivo, controlando o açúcar no sangue e regulando o colesterol. Pesquisas demonstram que o consumo do extrato do cogumelo, em média 40 gramas ao dia, tem efeito protetor, pois esse extrato possui uma substância chamada ergotioneína, que tem excelente ação antioxidante e pode eliminar os radicais livre.

Esses cogumelos são considerados antibióticos naturais e também têm a capacidade de eliminar toxinas do fígado.

Cuidado!

Apesar de todos esses benefícios, o consumo de cogumelos precisa ser feito com cuidado. Segundo especialistas, algumas dicas importantes precisam ser levadas em conta:

  1. Certifique-se que ele é comestível.
  2. Nunca consuma cogumelos crus, pois caso ele tenha algumas toxinas, elas são eliminadas quando eles são cozidos.
  3. Observe o aspecto na hora da compra; evite os manchados ou machucados, ou que aparentam ter água na embalagem.

Na hora de cozinhar

O modo de preparo varia de acordo com a receita, mas evite a fritura e excesso de óleo, que podem ser facilmente absorvidos pelos fungos comestíveis. Dê preferência para cogumelos refogados, grelhados, salteados ou assados. Cuide do tempo de cozimento para eles não ficarem emborrachados.

Higienização

Os cogumelos são como uma esponjinha: eles possuem e absorvem muita água. Se forem lavados com água ficarão encharcados. O ideal é limpá-los com uma toalha de papel úmida ou pincel de uso culinário.

Hidratação

Se optar por cogumelos desidratados, os mais usados são shiitake, morchella e porcini. Ao reidratar, use água na temperatura ambiente. Se eles forem fatiados, basta, em média, três minutos – para os inteiros, em média 4 horas. Lave em seguida para retirar possíveis resíduos e coe a água que também pode ser aproveitada.

Os tipos mais consumidos de cogumelos

O champignon, ou cogumelo-de-paris, é bem conhecido e encontrado in natura ou em conserva. Pode ser adicionado em pratos quentes e frios, combinado com proteína animal e vegetal. Prefira os in natura, pois em conserva ele contém mais sódio. Verifique as informações nutricionais e compare a quantidade entre as marcas;

O Portobello tem uma formato maior, aroma levemente mais forte, textura firme e polpa mais rígida. Pode ser grelhado e substituir o hambúrguer tradicional, ou serve como opção de proteina para veganos e vegetarianos;

Já o Shiitake pode ser  encontrado na sua versão desidratada ou fresco. Tem coloração escura e é bastante utilizado em sopas e molhos para substituir a carne. Possui todos os aminoácidos essenciais (lisina, metionina, triptofano, treonina, valina, leucina, isoleucina, histidina e fenilalanina);

Shimeji são bem versáteis e considerados uma das variedades mais saborosas. Podem ser usados como ingrediente principal para sopas e refogados ou ser salteados, usados em bases de molhos e pratos com  arroz;

O Agaricus blazei, ou cogumelo do sol, por sua vez, tem sabor adocicado e um aroma que remete às amêndoas. É muito utilizado na suplementação por possuir propriedades terapêuticas e nutricionais.

Deu água na boca, não é mesmo? Que tal preparar uma receitinha prática e saborosa com essa iguaria? Aqui vai uma receita de sopa-creme de cogumelo para você:

Sopa-creme de cogumelo

Ingredientes

  •    200 g de champignon fresco ou em conserva
  •    2 colheres (sopa) de manteiga
  •    1 cebola pequena picada
  •    1 xícara de caldo de legumes caseiro
  •    2 xícaras (chá) de leite
  •    1 colher (sopa) de amido de milho
  •    2 gemas
  •    Sal e pimenta-do-reino branca

Modo de preparo

  1. Aqueça a manteiga e refogue a cebola ligeiramente. Adicione o champignon e refogue até amaciar. Regue com o caldo e deixe ferver.
  2. Misture o leite com o amido e as gemas e adicione à sopa. Mexa sem parar até engrossar levemente. Retire do fogo e espere amornar.
  3. Bata a sopa no liquidificador até obter um creme homogêneo. Leve novamente ao fogo, tempere com sal e pimenta e deixe ferver por 3 minutos.

Nutricionista Natuclin

Recomendados para você

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares