Ir para o conteúdo
RECEBA DICAS DE SAÚDE E ALIMENTAÇÃO NO SEU E-MAIL!

Setembro Amarelo: Saúde Mental e alimentação

Setembro Amarelo: Saúde Mental e alimentação

O Setembro Amarelo é o mês de conscientização e prevenção ao suicídio, Iniciado no Brasil pelo CVV (Centro de Valorização da Vida), CFM (Conselho Federal de Medicina)e ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria) em 2015. Uma questão de saúde pública que merece atenção, os dados são alarmantes, pois anualmente ocorre aproximadamente 1 milhão de suicídios em todo o mundo, e muitos fatores podem ocasionar essa tragédia: o uso de algumas substâncias que causam dependência, doenças, desemprego, estresse, problemas pessoais, sociais, financeiros, entre outros.

Mas independente da causa, é fundamental ficar alerta aos sinais que podem levar ao suicídio. O Setembro amarelo buscar conscientizar a população sobre esse tema que ainda é tratado como tabu, mas que necessita de muita atenção, afinal vidas são perdidas a todo o momento.

A alimentação está estritamente ligada à saúde mental, isso porque quando há aporte nutricional adequado, há menor probabilidade de desenvolver problemas, e na área mental não é diferente, afinal a falta de alguns nutrientes gera transtornos de saúde. Um exemplo comum é a compulsão alimentar, pois o sentimento de culpa resulta em descontrole emocional, ansiedade entre outras situações.

Pesquisadores da ISNPR – Sociedade Internacional para Pesquisa Nutricional Psiquiátrica; publicaram em artigo que  “a nutrição é um fator crucial na alta prevalência e incidência de distúrbios mentais sugerem que a dieta é tão importante para a psiquiatria quanto a cardiologia, a endocrinologia e a gastroenterologia” Investir e cuidar da alimentação é fundamental para prevenir e reduzir os agravantes que as alterações psicológicas causam.

O professor de neurocirurgia e ciências fisiológicas da Universidade da Califórnia em Los Angeles, Fernando Gómez-Pinilla, afirma que os efeitos positivos da nutrição equilibrada, sono de qualidade e da atividade física contribui significativamente na saúde cerebral.

O médico destaca o papel importante dos ácidos graxos ômega-3, gordura encontrada nos peixes, nas nozes e no kiwi, na proteção do cérebro. “A deficiência desse nutriente em humanos está associada ao risco aumentado de diversos distúrbios mentais, como transtorno de deficit de atenção, dislexia, demência, depressão, transtorno bipolar e esquizofrenia”.Isso porque há redução do estresse oxidativo e na melhoria das sinapses (conexões entre neurônios), facilitadas pelo DHA, um dos tipos de ácido ômega-3.

No japão é um hábito comum a disciplina com a alimentação e atividade física, a ilha em Okinawa; por exemplo, é o lugar com maior taxa de longevidade do mundo e isso é um fato que desperta interesse na ciência que concluiu que a inclusão diária de ômega-3 promove muitos benefícios à saúde.

Inclua em sua alimentação alguns alimentos como: peixes, lentilha, chocolate amargo, banana, aveia, quinoa, nozes, castanhas, sementes de abóbora, ovo, grão-de-bico, chia, tofu, abacate, kiwi, abacaxi, cacau em pó, cogumelos, espinafre e mel.

Mude seus hábitos, se sua saúde não vai bem, como conseguirá dar conta de tudo de todas as exigências diárias.

Nutricionista Natuclin

Recomendados para você

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares