Alimentos que Combatem a Compulsão Alimentar

Postado em: Alimentação Cuidados com a Saúde - 21/06/2017

Ouça o texto:

Você tem ou conhece alguém que tem compulsão alimentar? O texto de hoje será sobre os alimentos que auxiliam a combater a compulsão alimentar.

A alimentação interfere diretamente na rotina, não só na produtividade e disposição para o dia-a-dia, como pode aumentar os níveis de estresse e ansiedade.

Muitas vezes ingerimos alimentos que aumentam a nossa ansiedade e consequentemente a compulsão por alimentos calóricos também.

No cérebro está localizada uma região responsável pela regulação da fome e da saciedade e, caso este “sensor” esteja comprometido, haverá um desequilíbrio entre a fome e a vontade de comer.

Devido a crescente incidência de males, como ansiedade, estresse e depressão, muitos estão descontando suas frustrações e problemas diários na comida.

Mas quais são os alimentos que combatem a compulsão alimentar?

Alimentos ricos em triptofano, que estão ligados a serotonina, como ovos, carnes e leite.
Alimentos ricos em vitaminas do complexo B, como grãos integrais, frango e feijão.

Alimentos ricos em vitamina c, como goiaba, morango, laranja, pimentão, brócolis e Goji Berry.

Consideramos o estresse uma inflamação, e a cúrcuma também conhecida como açafrão-da-terra, é um excelente anti-inflamatório natural, poderoso no combate do estresse e da ansiedade. Além disso, temos também o óleo de peixe, que ajuda a aliviar estresse psicológico.

O American Journal of Clinical Nutrition relatou o resultado de um estudo clínico canadense, que constatou um efeito benéfico do óleo de peixe em mulheres de meia idade, que sofriam com estresse psicológico.

O Ômega 3, contido no óleo, é um ácido graxo poli-insaturado que, juntamente com ácido docosaexaenóico (DHA), tem mostrado inúmeros benefícios à saúde.

Foram estudadas 120 mulheres com idades entre 40 e 55 anos, em situação considerada de estresse moderado a grave, que por vezes podem ocorrer durante a transição para a menopausa e a menopausa precoce.

Durante a análise, os pesquisadores observaram que ácidos graxos poli-insaturados são necessários para as membranas celulares do cérebro, e que uma deficiência de ácidos graxos ômega 3 pode ter impacto na transmissão da serotonina, hormônio envolvido no humor e bem estar.

Além dos benefícios sob o estresse em mulheres, os ômega 3 favorecem o fortalecimento do sistema imunológico, contribuem para a redução dos níveis de colesterol e regulam a fluidez do sangue. Como o organismo não pode produzi-los, estes elementos precisam ser introduzidos na nossa alimentação ou fornecidos por suplementos nutricionais, sendo essa uma ótima opção para quem não consegue consumir alimentos fonte de ômega 3.

A dieta alimentar é a melhor fonte de ácidos ômega 3. O óleo de alguns peixes de águas geladas, como sardinha, salmão, atum, cação, cavala, bacalhau e arenque, possui altas concentrações de ômega 3.

Recomendados para você