Como a alimentação e a suplementação podem ajudar a combater a diabetes

Postado em: Cuidados com a Saúde - 29/06/2020

A diabetes é uma doença crônica que ocorre quando o pâncreas não é mais capaz de produzir insulina ou quando o corpo não consegue fazer bom uso da insulina que produz. 

Alguns sintomas podem ser um indicativo da diabetes mellitus (DM), como cansaço, sede excessiva, vontade frequente de urinar, pele seca, cicatrização lenta, formigamento nas mãos e pés, visão embaçada, alteração de humor, disfunção sexual, entre outros. 

Para se proteger da diabetes ou diminuir seus efeitos, é preciso prestar atenção em alguns aspectos da sua vida, principalmente no que diz respeito à alimentação:

Alimentação regrada

O consumo de alimentos com alto teor de açúcar, carboidratos refinados, alimentos processados e ultraprocessados, aumentam o risco do desenvolvimento e descontrole do diabetes, principalmente o tipo 2.

A alimentação da pessoa com diabetes deve ser bem controlada. É fundamental o acompanhamento do nutricionista, que colocará em prática as leis que regem a alimentação equilibrada:

 Quantidade: deve ser suficiente para atender o organismo em todas as suas necessidades;

 Qualidade: deve conter variedade de alimentos que satisfaça todas as necessidades do organismo;

Lei da Harmonia: os diferentes nutrientes devem guardar equilíbrio entre si, em sua qualidade e quantidade;

Lei da Adequação: deve ser apropriada às diferentes fases e condições de vida, às atividades, às circunstâncias fisiológicas e de doenças.

Fibras

O consumo de fibras é fundamental para o bom funcionamento intestinal. Elas ajudam no controle da glicemia e colesterol e promovem a saciedade, entre outros benefícios. O Psyllium (principal componente do GLICEM)  é uma fibra solúvel natural derivada da casca da semente da erva Plantago Ovata. É um tipo de fibra que absorve água e, quando é misturada aos líquidos, pode aumentar em até 20 vezes o seu tamanho, formando uma espécie de “pasta” que limpa as paredes intestinais, transporta toxinas e resíduos e tem um excelente efeito laxante, mas sem causar diarreia ou dores abdominais.

Com um bom funcionamento intestinal, o corpo é capaz de manter as células e os tecidos saudáveis, combater infecções e reduzir inflamações

O consumo adequado de psyllium contribui nos tratamentos de constipação, diarreia, uma opção para redução de peso, pois promove saciedade, um aliado na manutenção da saúde do coração, níveis de colesterol e diabetes.

Vitamina D

A vitamina D previne diabetes, pois a sua deficiência resulta em baixa produção de insulina e, consequentemente, há um aumento da glicose no sangue. Além disso, a vitamina D pode reduzir as chances de ganhar peso, acumular gordura, diminuir a força muscular e problemas de desregulação hormonal em homens e mulheres.  

Em pesquisa recente, cientistas da Universidade do Missouri demonstraram que a simples suplementação da  vitamina D pode ajudar no controle dos níveis de açúcar no sangue e, consequentemente, na prevenção do diabetes.

Ômega 3 

Uma pesquisa realizada por cientistas da Universidade de Medicina de Chongqing, na China, analisou 17 estudos envolvendo ômega-3 e sensibilidade à insulina, e descobriu que a suplementação com o ácido graxo de cadeia longa EPA e DHA pode beneficiar pessoas que apresentam problema de produção do hormônio que quebra a glicose (açúcar) no sangue, especialmente aquelas com sintomas de desordens metabólicas. 

Os 17 estudos analisados pelos cientistas envolveram um total de 672 participantes. A suplementação com ômega-3 conseguiu reduzir o risco de resistência à insulina em 47%.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda a ingestão mínima de 1 a 2% das calorias diárias em forma de ácidos graxos insaturados, incluindo ômega-3 de cadeia longa (EPA e DHA). Este nutriente é comumente encontrado em peixes de água fria, como salmão, sardinha e atum. Vale também a suplementação para atingir as dosagem ideal, que na maioria das vezes não é obtida somente pela alimentação.

Recomendados para você