O que é diabetes?

Postado em: Cuidados com a Saúde - 27/06/2019

O diabetes, também conhecido como Diabetes Mellitus (DM), é uma doença crônica, responsável pelo aumento anormal do açúcar no sangue. Em pessoas com diabetes, o pâncreas não produz insulina suficiente, ou o organismo não faz o uso correto da insulina produzida – em razão de alguma falha no mecanismo que permite que a glicose passe da corrente sanguínea para as células, e assim produza energia.

O diabetes, na verdade, é um conjunto de doenças que envolvem estes problemas. A Sociedade Brasileira do Diabetes define assim:

Diabetes tipo 1

    Tipo 1A: deficiência de insulina por destruição autoimune das células, é comprovada por exames laboratoriais;

    Tipo 1B: deficiência de insulina de natureza idiopática (não possui causa certa ou conhecida.

Diabetes tipo 1 é causado por uma reação autoimune, quando o sistema de defesa do corpo ataca as células que produzem insulina. Pessoas com o tipo 1 produzem muito pouca ou nenhuma insulina. A doença pode ocorrer em  qualquer idade, mas geralmente se desenvolve em crianças ou adultos jovens. As causas exatas ainda não são conhecidas, mas estão ligadas a uma combinação de condições genéticas e ambientais.

Os sintomas mais comuns do diabetes tipo 1 incluem: sede anormal e boca seca, perda de peso repentina, excreção excessiva de urina (poliúria), falta de energia, cansaço, fome constante, visão embaçada.

Diabetes tipo 2

 ✔Perda progressiva de secreção insulínica combinada com resistência à insulina.

Corresponde a, em média, 90% dos casos. É caracterizada pela resistência e deficiência relativa de insulina. O diagnóstico pode ocorrer em qualquer idade e geralmente é feito quando ocorre alguma complicação ou em exames de rotina.

Os sintomas do tipo 2 são semelhantes ao tipo 1 e incluem: sede excessiva e boca seca, vontade frequente de urinar, cansaço, cicatrização lenta, infecções recorrentes na pele, visão embaçada, formigamento ou dormência nas mãos e pés.

Diabetes gestacional (DMG)

Este tipo é caracterizado pela elevação dos níveis de glicose no sangue durante a gravidez. Merece cuidados específicos, pois pode resultar em complicações tanto para a mãe quanto para o bebê, e é diagnosticado através de triagem pré-natal. A DMG geralmente desaparece após a gravidez, mas mãe e filho correm mais risco de ter diabetes tipo 2 na vida adulta.

Outros tipos

Outros tipos específicos de diabetes envolvem formas menos comuns da doença, cujos defeitos ou processos causadores podem ser identificados: são defeitos genéticos na função das células beta, defeitos genéticos na ação da insulina, doenças do pâncreas exócrino, endocrinopatias, infecções, entre outros problemas.

Níveis elevados de glicose no sangue, a chamada hiperglicemia, podem resultar ao longo do tempo em doenças como infarto, derrame cerebral, insuficiência renal, problemas visuais, maior chance de ter infecções, entre outras complicações, como a possibilidade de amputar um membro, principalmente quando a doença afeta os nervos, que ficam prejudicados com a má circulação.

Um detalhe que merece destaque é em relação aos problemas cardiovasculares. O excesso de glicose no sangue gera endurecimento das artérias e isso é um fato alarmante, pois, segundo levantamento de instituições de saúde, a taxa de mortalidade é maior em diabéticos.

Manter os exames em dia é uma das ações que mais beneficiam a saúde. Prevenir é saudável e um ato de amor próprio que deve ser colocado em prática. 

Em breve, falaremos sobre as medidas preventivas fundamentais no combate e controle do diabetes, fique atento!

 

Recomendados para você