Tudo o que você precisa saber sobre a osteoporose

Postado em: Cuidados com a Saúde - 31/12/2019

Veja como se prevenir dessa doença que afeta grande parte da população mundial

Nossos ossos sofrem constante degradação e remodelação. Durante nossa vida, ocorre um processo natural de retirada do tecido ósseo e um novo é recolocado pelo corpo. Isso acaba atingindo a forma e a densidade dos ossos. Quando o organismo não consegue repor adequadamente esse tecido, eles ficam mais frágeis e porosos, o que resulta na osteopenia, um estágio que precede a osteoporose, doença que aumenta o risco de fraturas, principalmente na coluna vertebral, fêmur e pulsos.

A osteoporose é uma doença que compromete a resistência e qualidade óssea. A perda da massa óssea altera a densidade mineral óssea, ou seja, a quantidade de mineral numa área do esqueleto.

Tipos de osteoporose

Osteoporose primária

É a forma mais comum de osteoporose e se divide em tipo 1 e 2:

A osteoporose pós-menopausa, ou tipo I, tem relação com a diminuição dos níveis de estrógenos, hormônios importantes na fixação do cálcio no osso. Geralmente acomete mulheres a partir de 50 anos e é bem diferente da condição masculina, pois o esqueleto é mais preservado em média até os 40 anos, isso graças à testosterona, que tem as taxas reduzidas gradativamente e minimiza o desgaste ósseo.

A tipo II, ou senil, está mais relacionada ao envelhecimento. Ela acontece por deficiência crônica de cálcio, pelo aumento da atividade do paratormônio e pela diminuição da formação óssea.

Osteoporose secundária

Pode ser causada por diversas condições, entre elas inflamação, artrite reumatóide, sedentarismo, uso de determinados medicamentos, tabagismo, distúrbios na absorção intestinal de cálcio, baixa absorção e metabolização da vitamina D, consumo em excesso de álcool, outras complicações de saúde ou até mesmo predisposição genética.

Osteoporose juvenil idiopática

Idiopática significa que a causa é desconhecida. É um tipo mais raro, geralmente se apresenta no início da puberdade e afeta principalmente o sexo masculino. Na maioria dos casos, a recuperação é possível, mas isso, assim como nos demais tipos, depende de acompanhamento com especialista.

Doses recomendadas de cálcio

Os valores da ingestão de cálcio para crianças e adolescentes também levam em consideração o crescimento esquelético (ganho líquido de cálcio), e os das mulheres na pós-menopausa e idosos levam em consideração uma menor eficiência de absorção intestinal de cálcio.

As doses diárias recomendadas de cálcio para as populações variam:

INFÂNCIA À ADOLESCÊNCIA   CÁLCIO (MG / DIA)
1-3 anos   700
4-8 anos   1000
9-13 anos   1300

14-18 anos                                    1300

 

MULHERES    CÁLCIO (MG / DIA)
19 – 50 anos    1000
Pós-menopausa (51 anos ou mais)    1200
Durante a gravidez / lactação de 14 a 18 anos    1300
Durante a gravidez / lactação entre 19 e 50 anos    1000

 

 

HOMENS    CÁLCIO (MG / DIA)
19-70 anos    1000
Mais de 70 anos    1200

 

Fonte: International Osteoporosis Foundation (IOF),2019

 

A osteoporose deve ser tratada com acompanhamento profissional, suplementação e tratamento medicamentoso adequado a cada caso. A prevenção da osteoporose começa desde a infância. Independentemente da idade, é sempre importante estimular a prática de atividade física, alimentação equilibrada, manter os exames em dia e  exposição solar em horários adequados – afinal, a vitamina D auxilia na absorção adequada do cálcio.

Alguns alimentos que são fonte de cálcio para incluir em seu dia a dia: leite e derivados, chia, aveia, quinoa, tofu, linhaça, sardinha, soja, grão-de-bico, semente de gergelim, brócolis e espinafre.

Recomendados para você